16 de janeiro de 2011


Ele estava diferente nesse dia, eu estranhei seu comportamento.
Numa conversa inusitada, confesso,
ele me surpreendeu.
Foi de repente, do nada, ele disse-me (não sei se brincando)
- Eu te amo, sempre te amei!
E eu acreditei!
Acreditei por que sempre quis ouvir, por que eu o amava, eu sei.



NiL Almeida