25 de julho de 2011













Sou um livro
que não se define.
Não sou palavra acabada,
nem o verso perfeito.
Sou entrelinhas,
alma de poesia.



NiL Almeida